A mudança de endereço pode ser de vários tipos como mudança de casa para apartamento ou vice-versa, mudança dentro ou para fora da cidade ou para outra região; enfim, são muitos os casos em que pode ocorrer uma mudança de residência. Seja de que modalidade for a sua mudança, acredite ̶ ela é, no mínimo, necessária. Tomara que, além da necessidade, também fosse muito desejada e para a sua felicidade. Mas, de qualquer maneira, prepare-se, pois ela, invariavelmente, irá bagunçar um pouco a sua vida.

Caso você tenha uma boa experiência com mudança de residência, tenho certeza que vai entender muito bem esse texto.

Devo, antes de qualquer coisa, esclarecer: eu gosto muito de mudar de endereço; mas não pense que é pra fugir de cobrador, não! É que, para mim, uma mudança sempre trouxe boas expectativas. Umas se concretizaram, outras não.

Minha primeira mudança de moradia foi bem tumultuada, lembro-me. E, pra dizer a verdade, eu não tinha muitas coisas para transportar – poucos móveis, alguns livros, televisor, equipamentos domésticos de som – mas, a falta de experiência com mudança junto à desorganização e falta de planejamento gerou a maior confusão.

O trauma, ainda em formação, foi dissipado com outras mudanças que fiz em continuação, assim que me formei na faculdade e tive que ir trabalhar em outra cidade. Depois, quando consegui um emprego melhor e fui morar em outro Estado. E se seguiram outras e outras mudanças, cada vez com mais organização e menos stress.

O primeiro passo: a vistoria dos imóveis (do que deixa e para o qual vai)

Não caia nessa armadilha imposta pelas imobiliárias e proprietários de casas e apartamentos para alugar. Guarde a lista da vistoria técnica que lhe entregarem junto ao contrato de aluguel, quando você chegar ao imóvel. No dia de sua saída, confira você mesmo se está tudo de acordo. Não se esqueça de que quaisquer melhorias que você tiver feito no imóvel não contará para nada, se você antes de realiza-las não combinar com a imobiliária ou o seu senhorio. No dia de sua saída, eles esquecerão dessas melhorias e lhe exigirão absurdos como bocais para lâmpadas fixados com parafusos na cor dourada. O que eles mais gostam de tirar proveito na hora de sua saída é com relação à pintura do imóvel. Para isso, contrate um profissional honesto ou, melhor ainda, reúna alguns parentes ou amigos para lhe ajudarem e pinte você mesmo.

Qual melhor serviço de mudança para contratar?

Aqui, a relação dor-de-cabeça/custo é inversamente proporcional. Contrate uma empresa de mudança que retire tudo do local e leve para o novo endereço, com serviço de desmontagem e montagem de móveis, acondicionamento e embalagem de todos os seus bens, que possuam seguro contra eventuais danos etc. Você, efetivamente, pagará um pouco mais por tudo isso. Todavia, no final das contas, você não terá aqueles suplícios que poderia ter ao chamar um “Zé Ruela” para fazer o transporte de sua mudança.

Há um outro fator que apliquei em minha vida e o qual tem me evitado muitos dissabores na hora de fazer a mudança de residência – quanto menos coisas se tem, menos você se incomoda na hora de transportá-las.

Garantindo uma boa vida no novo endereço

Você, como qualquer pessoa, não conhece o imóvel tampouco a região onde vai morar. Isso leva alguns meses. Todo dependerá de seu grau de interação como também das contingências. Agora, quanto ao imóvel para o qual vai se mudar, eu aprendi uma coisa – conhecer suas partes fundamentais previamente, contratando alguém para verificar a parte elétrica, hidráulica, verificação de infiltrações etc. Isso, que quase todo mundo negligencia, eu tenho em elevada consideração. Você nem imagina a tranquilidade que vai desfrutar, tomando essas precauções.

Evite a afobação

Você merece viver com qualidade de vida. E isso é algo que só pode ser garantido com prudência e bom discernimento. Assim, tenha muita paciência ao escolher um novo lugar para morar e, quando decidir mudar para lá, tenha a mesma paciência para fazer a sua mudança. Planeje-se, organize-se, pois você só tem a ganhar agindo com cautela.

Boa mudança!

Autor: R. Farias